EL NIÑO - OSCILAÇÃO SUL

Um dos fenômenos atmosféricos que pode causar variação nos índices de erosividade das chuvas é o ENOS.

O El Niño - Oscilação Sul é um fenômeno de grande escala cuja região de origem é situada no Oceano Pacífico Tropical.

 

O fenômeno é constituído por dois componentes:

  • o primeiro de natureza oceânica (El Niño), associado às mudanças na temperatura das águas,

  • e o segundo de natureza atmosférica (Oscilação Sul), relacionado à correlação inversa existente entre a pressão atmosférica nos extremos leste e oeste desse Oceano (GLANTZ, 1991; REPORTS..., 2006; GRIMM et al.,1997; SANTOS, 2003SANTOS, 2008).

 

Em condições normais, os ventos na região equatorial sopram de leste para oeste (ventos alísios), carregando a água quente superficial. Isto determina um aumento do nível do mar, em torno de 60cm, no Pacífico oeste e uma grande diferença de temperatura entre as águas a leste e oeste desse Oceano.

 

O carregamento da água quente superficial para oeste faz com que, a leste, águas frias sejam trazidas à superfície (ressurgência), carregando nutrientes que alimentam o fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha, favorecendo a fauna local.

 

Sobre as águas quentes na Indonésia o ar é mais quente e úmido, devido à grande evaporação local, causando a ascensão de ar na atmosfera, formação de nuvens e precipitação.

 

Na faixa tropical, o ar que sobe a oeste (baixa pressão atmosférica) tende a descer sobre as águas frias a leste (alta pressão atmosférica).

Em conseqüência, tem-se baixa incidência de nuvens e de precipitação nesta região (NOAA, 2001).

Em condições de El Niño, os ventos alísios enfraquecem, podendo até mesmo inverter sua direção normal. Com isso diminui tanto o acúmulo de água quente no Pacífico oeste, como a ressurgência das águas frias no Pacífico leste.

Diminuindo a diferença de temperatura entre leste e oeste, acaba reduzindo ainda mais os ventos alísios. O nível da superfície do mar diminui a oeste e aumenta até 25cm próximo à costa da América do Sul.

As mudanças na temperatura da superfície do mar, devido à grande extensão de abrangência, modificam a circulação atmosférica tropical.

O ar que, em condições normais sobe no Pacífico oeste e desce no Pacífico leste, passa a subir no Pacífico central e descer no Pacífico oeste e norte da América do Sul, diminuindo as chuvas nessas regiões.

Quando ocorre El Niño, o aquecimento das águas do Pacífico leste, em geral, inicia no outono, atinge o máximo no verão e dura, aproximadamente, um ano. Contudo, a intensidade do fenômeno, sua evolução e duração, variam de evento para evento.

É um fenômeno não cíclico, cuja freqüência de ocorrência varia de três a sete anos (NOAA, 2001).

Em condições de La Niña há um fortalecimento das condições normais do oceano e da atmosfera na região tropical do Oceano Pacífico.

Os ventos alísios são intensificados, o que acarreta um aumento no carregamento das águas quentes para leste e no ressurgimento das águas frias no Pacífico leste.

As diferenças de temperatura tendem a se acentuar, o que, por sua vez, auxiliam a intensificação dos ventos alísios (NOAA, 2001).

Dr. Cristiano Nunes

dos Santos

© 2019 por CNS. Criado com Wix.com

  • Facebook ícone social
  • Preto Ícone Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube